Ver. Carlo Caiado – 08/2012

Ver. Carlo Caiado – 08/2012

Petrobras desiste de comprar o QG da PM

Após grande movimento iniciado pelo vereador Carlo Caiado pela preservação do Quartel-General da Polícia Militar, a Petrobras desistiu da compra do terreno, conforme noticiado neste dia 15/08 na coluna do jornalista Ancelmo Gois, no jornal O Globo. Caiado apresentou o Projeto de Lei 1877/2008, que tomba o QG por seu valor histórico e cultural, e está em tramitação na Câmara.

No mês passado, Caiado esteve em uma reunião na Petrobras com o diretor José Eduardo Dutra. Na ocasião, o vereador solicitou que a empresa voltasse atrás e desistisse de comprar o terreno, ocasionando assim a destruição do prédio histórico, construído em 1740.

“Com a desistência da Petrobras, ganhamos uma batalha. Mas é preciso mais. O Governo já informou que ainda quer destruir o QG. Não podemos deixar que isso aconteça. Me comprometo a continuar lutando pela preservação deste prédio tão importante para a história do Rio” – afirmou Caiado.

MP abre inquérito para apurar irregularidades na cobrança da Taxa de Iluminação Pública

O Ministério Público do Rio de Janeiro abriu um inquérito civil para apurar irregularidades na cobrança da taxa de iluminação pública, implantada em 2010. Como vereador, Carlo Caiado votou contra a criação dessa taxa e, por considerá-la ilegal, levou a questão ao MP. Na época, também foram encaminhadas milhares de assinaturas colhidas por Caiado em um abaixo-assinado, demonstrando o descontentamento da população com mais um imposto.

Para o MP é preciso apurar, inclusive, a cobrança abusiva do serviço, já que quem consome mais energia paga um valor maior por um serviço que é para a iluminação de ruas e não de moradias. Além disso, foi denunciado, inclusive no jornal “O Dia”, o mau uso do dinheiro arrecadado com a taxa, que ao invés de ser repassado ao Fundo Especial de Iluminação Pública, foi usado para pagar a manutenção de aparelhos de ar condicionado.

Metrô até o Terminal Alvorada

A construção da Linha 4 do metrô é um marco para a cidade do Rio por interligar duas regiões de grande importância e alta movimentação: a Barra e a Zona Sul. Ciente disso, e dos problemas de trânsito enfrentados no dia a dia, Caiado é um grande defensor do sistema. Entretanto, a opção do Governo do Estado de conduzir esta obra sem seguir o projeto original irá causar sérios problemas, inclusive o aumento no fluxo de veículos no Jardim Oceânico, que é a entrada e saída da Barra.

Com a mudança no trajeto, a Linha 4 do metrô agora será uma extensão da Linha 1, ou seja, um “linhão”. Além disso, uma questão essencial ainda não foi respondida: onde será a ligação do metrô com os ônibus e BRT´s?

Por conta desta dúvida, Caiado apresentou um Projeto de Lei proibindo a construção de um terminal de ônibus no Jardim Oceânico e deu início a um movimento para levar o metrô até o Terminal Alvorada.

“A Alvorada é o local ideal para que seja feita a conexão do metrô com os ônibus convencionais e os veículos do BRT. Além disso, com a estação no terminal, mais moradores da Barra e da Zona Oeste poderão ser atendidos pelo sistema de transportes” – afirma Caiado.

Organizações Sociais prejudicam a saúde do Rio

A saúde é considerada pelos moradores do Rio, atualmente, como um dos maiores problemas da cidade. Isso só mostra que a terceirização de profissionais, por meio das OS´s – Organizações Sociais não é a solução. Além de desvalorizar o servidor municipal, a Prefeitura privatiza um serviço que é de sua obrigação e gasta cada vez mais dinheiro público com um sistema desqualificado.

Carlo Caiado votou contra a Lei Municipal 5026/09, que permitiu a gestão de OS´s na saúde e na educação, porque prejudica diretamente os servidores e a população, e apresentou o Projeto de Lei 247/2009, que revoga a Lei das OS´s.

“Não podemos permitir que os interesses privados sejam priorizados em áreas que são por direito dos servidores municipais, sem que melhora alguma seja observada pela população, o que acaba gerando prejuízo à sociedade carioca com um todo” – afirma Caiado.

Saneamento da Zona Oeste

Desde 2005, o vereador Carlo Caiado é presidente da Comissão Especial de Saneamento da Zona Oeste e vem lutando para defender a região no que diz respeito à realização de obras, funcionamento das estações de tratamento, e principalmente, contrário à privatização do saneamento da região.

Para Caiado, a Prefeitura busca, por meio dessa privatização, se isentar da responsabilidade quanto ao saneamento. Tanto que, em ofício encaminhado pelo vereador com reclamações de um morador quanto ao sistema de esgotamento sanitário, foi respondido que a reclamação deveria ser feita a uma empresa privada de São Paulo, que é quem está gerindo o projeto no momento.

botao_link-arquivo-completo

Related posts

Deixe um comentário